Etiquetas

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Hoje em dia, a maioria dos fiéis já não conhece nem entende o significado, a utilidade, e o valor dos objetos litúrgicos. A maioria das pessoas que ainda o sabe são os próprios sacerdotes, os coroinhas e (alguns) catequistas. É importante conhecê-los para que a participação na Liturgia renda mais frutos. Por isso, aqui listo os principais objetos litúrgicos da Igreja:

  • Crucifixo: Fica sobre o altar ou acima dele, lembra que Cristo é o centro da nossa vida, da Igreja, e principalmente da Missa, que é a renovação do Sacrifício da Cruz.

  • Cálice: Taça onde se coloca o vinho que será consagrado. Deve ser feita de material nobre, normalmente ouro. Se o exterior não for de ouro, ao menos o interior deve ser.
  • Âmbula ou Cibório ou Píxide: Recipiente onde é colocado o pão (as hóstias). Também deve ser feita de material nobre, e também o interior deve ser de ouro. Após a Missa, é guardada no sacrário, junto com as hóstias. Quando é guardada no sacrário, é colocado ainda um ‘véu’ ou ‘pano’ sobre a âmbula, chamado conopeu.

  • Patena: É onde a hóstia maior é colocada, para a consagração. Também é feita de ouro. É usada também na comunhão dos fiéis, colocando-se abaixo do queixo  deles, para que nenhuma partícula caia.
  • Jarra e Bacia: Usada para a purificação das mãos do sacerdote, para que ele possa fazer a consagração.

  • Manustérgio: pequena toalha que o sacerdote usa para enxugar as mãos.
  • Galhetas: recipientes onde são colocados o vinho e a água. O vinho representa, e depois será, Deus, e a água representa o Povo de Deus, e depois, a agonia e as dores que Jesus sofreu por nossos pecados. Representam, ainda, o sangue e a água que jorraram do coração perfurado de Nosso Senhor.

  • Naveta e Turíbulo: Na naveta é colocado o incenso, e no turíbulo, a naveta. É usada para incensar nas diversas ocasiões da Liturgia
  • Caldeira e Aspersório: Na caldeira, deposita-se a água benta, e o aspersório, como diz o nome, é usado para aspergi-la, seja nos fiéis, seja em objetos, seja em lugares. A aspersão da água benta nos fiéis serve também para relembrar-nos de nosso Batismo e suas promessas, e para purificarmos para participar dos santos mistérios.

  • Sineta: É usada para chamar a atenção da assembléia e anunciar a parte mais importante da Missa, a consagração.
  • Círio Pascal: vela que representa a Luz de Cristo. É usada em todas as celebrações do Tempo Pascal, e também em solenidades fora desse tempo, como batizados, crismas, etc. Símbolos: O alfa ou a letra A: Cristo é o Princípio. O ômega ou a letra Z: Cristo é o Fim. O ano em curso: Ele é o tempo e a eternidade. A Cruz: Ele é o Redentor. O (Chi) ‘Χ’ e o (Rho) ‘ρ’ são letras gregas que são anagrama de Cristo (Χριστός). Durante a Vigília Pascal, o sacerdote insere no Círio cinco grãos de incenso no círio, para representas as cinco chagas de Cristo na Cruz:
    • a coroa de espinhos,
    • o prego da mão direita,
    • o prego da mão esquerda,
    • o prego dos pés, e
    • o corte feito no lado direito do seu peito pelo soldado romano.

  • Sacrário ou Tabernáculo: é um pequeno cofre colocado sobre o altar para guardar as partículas excedentes da Eucaristia, seja dentro da âmbula, seja no ostensório. Muitas vezes fica em uma capela própria, a Capela do Santíssimo. Normalmente é feita de ouro. Nos primórdios da Igreja, os sacerdotes, após a fracção do pão (a Missa), guardavam dentro do sacrário os excedentes a fim de dá-los aos irmãos doentes ou que faltaram a celebração. Quando se iniciou a Paz na Igreja, foi estabelecida a prática de manter a Eucaristia sempre no sacrário.

  •  Ostensório ou Custódia: É usado para expor o Santíssimo ou levá-lo em procissão. Manifesta a glória da Eucaristia, e quando está com o Santíssimo, o sacerdote não toca nele com as mãos. Para isso, deve usar o véu umeral.

  • Pala: tira de papelão ou cartolina em formato retangular, cobrido com tecido (geralmente linho na cor branca), que é utilizado para cobrir o cálice com o vinho, para que não caiam impurezas como poeira ou insetos.

  • Corporal: é o pano quadrangular de linho, com uma cruz no centro, sobre o qual são colocados o cálice, a patena e a âmbula para a consagração.

  • Sanguíneo ou Sanguinho: pequeno pano usado para enxugar a boca, os dedos, bem como o cálice, após o rito de comunhão.

  • Teca: pequeno compartimento onde se leva a Sagrada Comunhão para os doentes.

  • Bolsa de Viático: Bolsa pequena, quase sempre de pano, onde se coloca a teca.

Acho desnecessário dizer isso, mas por causa de algumas coisas absurdas que ouvi sobre os objetos litúrgicos serem feitos de materiais preciosos, quero frisar que a Igreja deve ter o maior zelo e preocupação com a Liturgia na Santa Missa, que é afinal o centro e o cume da vida da Igreja. Por isso, ela deve dar o melhor de si para que tudo na celebração manifeste a glória de Nosso Senhor e Redentor. São, sim, feitos do melhor que podemos oferecer, e isso em nada prejudica a Igreja em sua atividade caritativa e missionária; pelo contrário, pois meditando melhor os santos mistérios na Liturgia, nós somos mais modificados pela Graça Santificante, e assim, podemos exercer nossa atividade cristã de maneira bem mais produtiva. Para Deus, sempre o melhor!